Curso de arte

5 dicas para quem quer começar na arte da caligrafia

começar na caligrafia
Escrito por Casa das Artes

Para ajudar quem pretende começar na caligrafia, nós elaboramos um artigo contendo 5 dicas para desenvolver essa habilidade. Se é o seu caso, vale muito a pena a leitura do nosso artigo!

Com o domínio dos computadores nas empresas e nos lares, acabamos nos desacostumando com a escrita à mão. Para muitos, digitar é mais prático e rápido, além de ser menos cansativo.

Mas a caligrafia voltou a ser valorizada por transmitir exclusividade e sofisticação à escrita. Afinal, mesmo com uma bela fonte para impressão, não há como imprimir no papel o relevo causado pela pressão da caneta.

Além disso, a caligrafia está sendo descoberta por pessoas que buscam um novo hobby para fins terapêuticos ou que desejam obter uma nova fonte de renda. Por conta da demanda do mercado, há quem ganhe a vida como calígrafo profissional. 

Quem domina essa arte pode trabalhar escrevendo convites de festa, cartões, tatuagens, lousas de restaurantes e prestar serviços para agências de publicidade e editoras. Também é possível utilizar a caligrafia no artesanato, seja escrevendo sobre tecido ou em capas de cadernos personalizados. 

1. Estude sobre o tema

Antes de colocar a mão na massa, procure estudar mais sobre o mundo da caligrafia. É importante que você conheça as principais letras — Ronde Francesa, Copperplate, Gótica — e entenda mais sobre os traçados, se são finos ou grossos, e se há inclinação. 

Pesquisar os materiais necessários, assim como a finalidade de cada um, também é essencial. A pena de ponta quadrada e a tinta aquarelável, por exemplo, são indicadas para letra de traço grosso. Já para outras letras, como o Spencerian, a aquarela não é indicada.

Os tipos de letras possuem suas particularidades, por isso é preciso se aprofundar no tema. Utilize a internet a seu favor: acesse blogs sobre o assunto, assista a vídeos no youtube e leia entrevistas com profissionais da área.

Se quiser investir mais, pesquise se há cursos de caligrafia para iniciantes na sua cidade e se inscreva.

2. Inspire-se nas fontes tipográficas

Um bom calígrafo precisa entender sobre tipografia, que é o estudo das fontes. Ela é utilizada para chegar na escolha da melhor fonte para uma palavra — ou texto — para garantir uma boa compreensão na leitura.

Ou seja, não basta apenas escolher uma fonte bonita, é preciso adequá-la ao tamanho da letra para que esteja de acordo com o contexto da mensagem que será passada. 

Por isso, analise a letra, entenda como ela foi produzida e conheça as técnicas utilizadas para seu traçado. E, para se inspirar, pesquise sobre as fontes tipográficas em sites, como Pinterest e Behance, que contam com bastante material sobre o tema. 

3. Explore seus movimentos 

Depois de estudar sobre a caligrafia e entender melhor sobre as letras, comece a colocar em prática tudo o que foi visto.

Você pode utilizar canetas comuns e lápis nesse primeiro momento, já que o objetivo é o treinar sua mão para a escrita e, também, aprender a variar a espessura do traço.

As linhas guias vão te auxiliar nessa fase, assim como em todo trabalho como calígrafo.

Elas são importantes para orientar o seu traço e manter as características da letra escolhida. Você pode fazer as linhas com um lápis ou imprimir folhas prontas da internet.

Antes de escrever letras e palavras inteiras, sugerimos treinar o traçado e a pressão fazendo ondas e círculos dentro do espaço das linhas.

O movimento de subida deve ser mais leve, já o de descida deve conter mais pressão para deixar o traço grosso. Depois, escolha uma letra e comece a treinar seu alfabeto para se familiarizar com a escrita. 

4. Pratique bastante ao começar na caligrafia

Quanto mais praticar, melhor será a sua caligrafia. Por isso, treine bastante em qualquer pedaço de papel para ir tomando segurança no seu traçado.

Escreva todo o alfabeto em diferentes tipos de letras e teste diferentes tipos de canetas para escrita. Se já se sentir confortável, comece a testar a escrita com a pena para ir se acostumando com ela.

Estabeleça uma meta de criar uma arte por dia, seja um convite ou uma carta. Crie um esboço da sua ideia e pense no espaço que tem para preencher.

É dessa forma que você vai desenvolver a sua técnica e encontrar o estilo de caligrafia que mais se identifica. 

5. Invista em materiais de boa qualidade

Contar com material de boa qualidade é importante para garantir uma bela caligrafia. Por isso, vale a pena investir na compra de bons materiais.

Para quem está na fase dos treinos, pode utilizar apenas o papel e marcador caligráfico. 

A caneta Dual Brush é um dos marcadores caligráficos mais utilizados. Ela conta com uma ponta de pincel de um lado e uma ponta fina de outro, permitindo o contraste entre traços grossos e finos. 

O papel pode ser um sulfite simples, apenas evite papéis gordurosos e o de cera, por não absorverem a tinta e mancharem facilmente.

Se você não vê a hora de começar a escrever com as penas, pesquise bem qual a mais indicada para o estilo de escrita que você busca.

Também pesquise sobre cabo para a pena, que pode ser reto ou oblíquo, o que facilita a escrita de letras inclinadas. 

Você também precisará de uma tinta de boa qualidade, com secagem rápida para evitar os borrões. A tinta nanquim é uma opção prática por já vir pronta para uso.

Porém, ela não tem variedade em cores como a tinta guache, que tem uma paleta de cores maior — inclusive cores metálicas — e que precisa ser preparada com água.

Se você tem intenção em escrever convites para casamentos e festa, invista em tintas com tons metálicos como ouro, cobre e prata

Você consegue encontrar os materiais de caligrafia para venda em lojas online e é uma boa opção para quem busca variedade e bons materiais por um preço em conta sem sair de casa.

E então, está pronto para começar na caligrafia? E por que já não começa a pesquisar os produtos de caligrafia para adquirir? Não perca tempo, mãos à obra e bom trabalho!

Sobre o autor

Casa das Artes

Deixar comentário.

Share This