Dicas de artesanato

6 dicas de como precificar seus artesanatos

Escrito por Casa das Artes

Como precificar artesanatos? Quanto vale o seu produto? Essa é das perguntas mais difíceis de responder. Entenda, primeiro, que o preço de um artigo costuma envolver diversas variáveis. Logo, não existe uma regra mágica.

Além dos custos óbvios da matéria-prima, existem gastos não palpáveis, como o tempo dedicado ao trabalho e possíveis despesas geradas na hora de melhorar o espaço de produção.

De uma maneira geral, é preciso encontrar um equilíbrio: nem um valor tão baixo que traga prejuízos, nem tão alto que possa afastar os clientes. Pensando nisso, separamos 6 dicas de como precificar artesanatos para ajudar você, artesão, a valorizar cada trabalho.

Vamos lá? Acompanhe tudo neste post!

1. Faça um levantamento de todos os custos

Muitas pessoas não têm conhecimento de como precificar artesanatos e, no desespero para estipular um valor, acabam multiplicando o preço gasto com a matéria-prima por dois ou três. Isso, porém, é um erro grave.

Fazendo isso, você esquece de outras variáveis importantes. O seu gasto para ter um resultado final não se resume à aquisição dos itens para produção. Considere que, nesse processo, você usa transporte público ou gasolina para comprar os materiais, gasta luz, água e internet, paga valor de frete e dedica várias horas ao trabalho.

No começo, ao multiplicar por dois ou três, pode até parecer que você está lucrando. No entanto, com o tempo, perceberá que isso só prejudica o seu trabalho.

2. Saiba como precificar artesanatos usando a fórmula das seis variáveis

Você deve estar pensando: eu escolhi fazer um trabalho criativo justamente para me livrar das contas matemáticas. Mas, calma, você verá como essa fórmula é mais simples do que parece.

Ela leva em conta 6 variáveis: matéria-prima, frete, custos variáveis, custos fixos, imposto e lucro e se apresente da seguinte maneira: PREÇO = MP + LOG + VAR + FIX + IMP + LUC. Desmembrando a fórmula, temos:

MP

Matéria prima, ou seja, o valor gasto com os materiais.

LOG

Valor do frete ou logística, o que equivale ao valor dos correios, transporte para entregar no metrô ou motoboy.

VAR

Envolve os valores relacionados à apresentação e divulgação do produto. Inclui as embalagens, etiquetas, pontos de venda, comissão para vendedores, gastos com propagandas, tags, entre outros. São os valores que dependem da venda.

FIX

São os custos fixos, ou seja, aqueles que, independentemente de você vender ou não, sempre vão existir. Bons exemplos são as contas de água, luz, internet, gás, registro de domínio, contador, telefone fixo, entre outros.

Um ponto importante a ser observado nos custos fixos é o estoque. Provavelmente, você já comprou um tecido, papel, decoração ou qualquer outro material que acabou sobrando. Essa sobra é considerada estoque e, portanto, também deve entrar nos seus custos.

IMP

Refere-se aos impostos sobre a venda, como ICMS, IPI, Simples Federal, entre outros.

LUC 

É o seu lucro esperado na peça. Retirando todos os custos anteriores, o lucro é o que fica livre para o empreendedor. Não tenha medo de lucrar, afinal, o lucro é a razão de qualquer empresa.

3. Observe o valor percebido pelos clientes

Outra dica de como precificar diferentes artesanatos é observar o valor percebido pelos clientes. Pense em uma balança: de um lado, o preço do produto e, do outro, os benefícios que seu cliente receberá ao comprar este produto. Essa balança deve estar equilibrada, pois, caso contrário, você ou seu cliente sairá perdendo.

O ideal é o que cliente perceba um valor simbólico igual ao preço. Caso ele note que o produto não tem todos os benefícios que poderia, significa que o seu preço está caro. Se for o contrário, ou seja, quando o benefício excede o preço, então o valor está muito baixo e você está deixando de lucrar.

Esse valor percebido muda de acordo com o preço de outros produtos similares aos seus, o que nos leva para a próxima dica.

4. Fique atento aos concorrentes

Entender o mercado é essencial para se destacar. Para definir um preço para o seu produto, você precisa considerar o que já existe por aí.

E como analisar os concorrentes? Visite lojas, converse com clientes, vendedores, perceba os diferenciais dos produtos dos seus concorrentes e, se puder, compre até mesmo uma amostra do produto concorrente para compará-lo com o seu.

Use a internet como amiga nessa hora para ampliar a análise. Nesse caso, você também pode avaliar as formas de entrega e promoções disponíveis.

Com todas essas informações em mãos, você tem uma noção do que o mercado está ofertando para os clientes e qual é o preço pago por isso. Então, pode reavaliar o preço dos seus produtos e definir um valor justo, que será vantajoso para ambos os lados.

5. Considere o investimento inicial

Se você está pensando em abrir sua loja ou começar um ateliê novo, outro ponto a levar em consideração na hora de precificar artesanato é o investimento inicial. Você precisou comprar uma máquina de costura? Ferramentas novas? Teve que fazer uma reforma? Gastou com marketing digital? Anote todos os seus gastos iniciais.

Vamos supor que esse valor deu algo em torno de R$ 7.200,00. Nesse caso, você precisa recuperá-lo de alguma forma, certo? Por isso, esse fator também deve ser incluído no preço final do produto.

Para isso, você deve definir em quanto tempo deseja ter esse valor de volta. Pode ser, por exemplo, em 2 anos (24 meses). Basta dividir 7.200 por 24, chegando ao resultado de 300. Assim, você precisa vender, no mínimo, 300 reais por mês para zerar esse investimento inicial.

Você pode colocar esse valor na fórmula citada anteriormente para garantir que seu negócio se pague sozinho, mas não é uma regra. O importante é ter esse valor em mente para planejar sua produção e venda.

6. Valorize o seu esforço e estabeleça metas profissionais

Em cima do lucro, você deve considerar o seu salário, pois, assim como qualquer profissão, você deve ganhar pelo tempo que gasta trabalhando. Pense em quantas horas por dia está disposto a trabalhar.

Se essa for sua única fonte de renda, defina oito horas por dia. Oito vezes significa 22 dias úteis, e isso daria 176 horas mensais. Agora, com quanto você deseja começar? Pense em um valor entre R$ 1000,00 e R$ 2000, 00 e que poderá evoluir conforme seu negócio for crescendo.

Para saber quanto vale a sua mão de obra, é só dividir o salário que você gostaria de ganhar pelas horas trabalhadas no mês.

E agora, ficou mais fácil de entender como precificar artesanatos? Confira também o nosso post com dicas para divulgar seu artesanato no Pinterest e, assim, alcançar mais clientes. 

Sobre o autor

Casa das Artes

Deixar comentário.

Share This